Salva pela Escola


Tinha 12 anos quando lhe disseram que ia ser casada. Ela disse que só queria estudar e fugiu. A família encontrou-a, arrastou-a para casa amarrada ao selim de uma bicicleta e espancaram-na de tal forma que passou mais de um mês sem andar. O “noivo” era cunhado de uma irmã, tinha 59 anos e 2 mulheres. Ela voltou a fugir. Correu pelos matos e foi dar a um posto de Polícia a uns 40km de distância. Pediu ajuda. O Polícia notificou a familia para comparecer no posto e deixou-a dormir numa arrecadação.
A família foi buscá-la. Já tinham pago lobolo ao noivo e ela tinha de ir. Insistiu que só queria estudar. Disseram que ela queria era outro homem. A Polícia chamou uma mais vellha para lhe confirmar a virgindade. Afinal era verdade, ela só queria estudar. A família voltou para casa de mãos a abanar e a ameaçá-la de morte se voltasse à aldeia. No posto conseguiram um acordo com a escola para ela não pagar nada e arranjaram-lhe onde ficar em casa de um professor casado.
Aos 15 anos teve bolsa de estudo para fazer até ao 12º ano num internato. Nunca repetiu e esteve sempre no quadro de honra da escola.
Tem 19 anos e um ar de miúda traquina, olhos vivos e língua solta. Trabalha no Governo distrital. Entrou nos quadros da administração pública. Quando receber o primeiro salário vai ter uma casa só dela e roupa. Vai deixar de lavar e secar de noite para vestir de dia. O sonho imediato é aprender a mexer no computador lá do escritório. Mais tarde gostava de ser médica.
Eu acredito que ela até pode ser astronauta, se quiser… garra, não lhe falta e já viajou entre mundos diferentes, afinal.

Anúncios

6 Respostas

  1. Sabes uma coisa? São histórias destas que tanto estudante precisa de ouvir. Porque é impressionante que esta jovem compreenda como os estudos podem e são uma porta aberta. E é impressionante porque ninguém lhe esteve a dizer para estudar, antes pelo contrário… QUantas histórias tu ouves e aguentas? Grande Gabriela!!!

  2. Bela história…já reparaste na quantidade de erros que deste?? O teu português está a ficar baralhado maninha…lol…deste uns quantos…mas a história é muito boa…valente menina/mulher!beijinhos

  3. lol…agora fui ler acima outra vez e os erros que apareciam quando li desapareceram…quando abri o texto tinha uns quantos…fizeste magia 🙂

  4. Anabela, isto passa-se em Moçambique, na província de Manica ( em outras) hoje em dia. Em distritos rurais como Guro é uma prática banal. As ONGs têm programas de “resgates” de raparigas. Chamam-lhes assim.
    Maninha, claro que fiz magia.. depois de ler a primeira versão escrita a pressa 🙂 Beijocas!

  5. Em africa deve haver milhares de historias como esta…..infelismente…

  6. Mas também há muitas histórias com final feliz como esta 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: