LIBERDADE FUNDAMENTAL


Em geral pensamos pouco. Pensamos pouco no que dizemos, no que fazemos e nos porquês. E a Liberdade, quando a temos, torna-se abstracta e podemos atropela-la à vontade porque achamos que ela nunca vai morrer e desaparecer. É assim como as crianças quando tentam imitar os filmes e pensam que podem morrer vezes sem conta porque é isso que acontece aos seus heróis. Vejo isso acontecer demasiadas vezes. Basta estar atento às conversas de café, aos comentários que se fazem em blogues, redes sociais e meios de comunicação social, à vida, enfim. Eu acho este exercício assustador e ainda por cima como estendo o exercício a outros lados do mundo a preocupação aumenta exponencialmente e só me apetece imigrar… para outra galáxia porque perco a fé na Humanidade. É com demasiada facilidade que as pessoas dizem “se não estás bem vai para a tua terra” ou “se não tens competência para educar o teu filho devias ser proibido de ter filhos”, “se não és capaz se ser auto-suficiente não devias existir”, “se não és de tal religião não devias existir”, “se não cumpres estas normas não devias existir”… parece um exagero, não parece? Infelizmente é só uma ínfima parte dos atropelos à Liberdade que se comentem constantemente. Porque como a Liberdade é fundamental e transversal a tudo, quando achamos que alguém não deve estar na “nossa” terra estamos a matar o nosso direito de viver numa “terra” que outros acham que não é nossa, mesmo que tenhamos nascido lá, só porque nos identificam origens diferentes das da maioria. E quando achamos que de acordo com os nossos critérios, que podem ser os melhores do mundo, algumas pessoas não devem ter filhos, esquecemos-nos que estamos a matar o nosso direito a ter filhos quando os outros, à luz de outros critérios que são para eles os melhores do mundo, acharem que nós não somos competentes para tal. E quando achamos que quem não é auto-suficiente não deve existir, porque são incompetentes e vivem à nossa custa estamos a matar o direito de existir sempre que aos olhos dos outros estejamos do lado dos mais fracos. E assim acontece com tudo. Quando privamos alguém de Liberdade, de qualquer liberdade, seja a liberdade de ter acesso a comida e água, seja a liberdade de se reproduzir, de amar, de trabalhar de circular, de ser o que bem entender, de respirar ar puro, de acreditar no que quiser e viver como quiser estamos a matar a liberdade dentro de nós e a enfraquecer todo o sistema. É muito difícil, é muito mais fácil falar do que fazer mas enquanto não conseguirmos este equilíbrio estamos a matar aos poucos a humanidade, aquilo que faz de nós humanos.Tenho pensado muito nisto ultimamente. E deixa-me triste. A Liberdade é fundamental à vida e à felicidade, é fundamental porque constitui as fundações, a essência, da própria vida e da felicidade.

Advertisements

4 Respostas

  1. Excelente prosa! Vamos de certeza trocar umas ideias no jantar de terça!
    Espero preparar um repasto leve, muito saboroso, e recheado de conversa…
    Até lá um beijinho

  2. Adoro a tua maneira de escrever =), já algum tempo que venho “cuscar” o teu Blog e gosto bastante. Parabéns e continua a escrever esses contos maravilhosos.

    • Obrigada “Anónimo” (para a próxima deixa um nome, um pseudónimo, qualquer coisa está bem? :))
      Depois de mais de um mesito parada, a viver histórias e sem muito tempo para as contar, estou de volta.
      Volta sempre!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: