A PERGUNTADORA E O POLÍCIA


Já tardava o meu encontro com as autoridades! É famosa a minha relação amistosa e estranha com os agentes policiais, mas aqui no Quénia, as pessoas fogem deles como o diabo da cruz. Aqui a polícia só serve para extorquir dinheiro aos cidadãos mais incautos que não tiveram a sorte de evitar o encontro. Todos temem a polícia pois sabem que vão inventar o que for preciso para extorquir um “donativo” e os deixarem seguir em paz.
Até ontem tinha conseguido evitá-los mas eis que o receado confronto surge quando menos se espera.

Local: Entrada principal do Yaya Center
Horário: 21h
Motivo: A aguardar alguns amigos para sairmos juntos
Descrição da situação (o mais possível fiel aos acontecimentos):

Enquanto esperava a Perguntadora resolveu acender um cigarro e eis que, para seu espanto, começa a ver um agente da autoridade a deslocar-se perigosamente na sua direcção. Ela olha em volta a ver se mais alguém podia ser alvo da atenção da criatura, mas não, está completamente sozinha.
– Boa noite! – cumprimenta o polícia respeitosamente.
– Boa noite, posso ajudá-lo em alguma coisa? – pergunta a Perguntadora com o sorriso mais angélico do mundo como se estivesse pronta para ajudar o polícia a prender alguém.
– É proibido fumar! Faz mal à saúde! – Diz ele de rajada como se as duas frases fizessem muito sentido juntas.
– Sim, eu sei que tenho de largar o vício e olhe que até fumo muito pouco, mas olhe… eu estou na rua. Não estou a incomodar ninguém, – responde ela respeitosamente numa tentativa de criar empatia com o polícia.
– Mas a senhora não sabe que no Quénia é proibido fumar na rua??? Dentro do shopping nas lojas que o permitem pode fumar, agora na rua é que não! Vou ter de a multar.
(Aiiiiiii, olha-me este disparate… agora é que estou feita) Pensou a Perguntadora.
– E sabe que a multa é muito alta?… e eu não posso fazer de conta que não a vi a violar a lei, – afirma o polícia cheio de autoridade.
– Claro, o senhor tem de fazer o seu trabalho!… Mas se reparar bem eu não estou na rua, estou debaixo da cobertura da entrada do centro comercial e portanto estou tecnicamente em terreno neutro. Não estou dentro nem fora! – responde a Perguntadora impulsivamente, com a maior lata do mundo e um sorrido encantador. (E sem nunca apagar o cigarro note-se!)
O polícia olha para um lado e para o outro. Vê-se que está confuso. Entretanto, o cigarro chega ao fim e a Perguntadora ataca sem dó nem piedade novamente.
– Deixe lá senhor polícia, olhe… apesar de eu não ter violado nenhuma lei foi um prazer falar consigo. Acabou por me fazer companhia enquanto espero pelos meus amigos e a sua presença fez-me sentir muito mais segura. Nada acontece por acaso! E olhe, o meu cigarro acabou… não há cinzeiros?!… vai-me multar se eu o apagar no chão? – dispara a Perguntadora.
– Não!?… – responde hesitante o polícia muito baixinho.
– Bem, chegaram os meus amigos. Foi um prazer falar consigo! Obrigada pela companhia e pela informação. Agora já sei que é proibido fumar na rua. Tenha uma noite! – diz a Perguntadora estendendo a mão para cumprimentar o policia e afastando-se em seguida na direcção dos amigos que finalmente chegavam.

Moral da história: Seja em Portugal ou no Quénia o que é preciso é ter lata, ser muito simpática e pensar rapidamente. Na maioria dos casos funciona!

Advertisements

9 Respostas

  1. AHAHAHAHA coitados dos polícias!

  2. Lol, demais Gabriela 🙂 Parabéns pela perspicácia e pela atitude “cool”! Bjs.

  3. Hehehe! Tu és demais! Tens uma lata…superas-te a cada dia! Muito bem mandado! Mas convenhamos que esse país é uma anedota…não se pode fumar na rua???? Nunca tinha ouvido essa…os polícias de Nairobi que se ponham a pau…acho que ainda vais ficar famosa entre a “comunidade policial” e quando tal eles quando te virem, fogem de ti :-)))

  4. Meninas,Apesar dos meus anos de experiência e dos bons resultados nas lides com as autoridades locais, em Portugal, o melhor é não abusar da sorte aqui. Os polícias usam umas armas grandes assustadoras LOL… sobretudo porque são tão velhas que a precisão não deve ser muito grande. E são mesmo vergonhosamente corruptos… e falam aquele inglês que eu tenho dificuldade em perceber.O problema são os insólitos do país: quem é que vai adivinhar que é proibido fumar na rua?! ou não nos levantarmos quando passam o hino nacional no cinema antes dos filmes começarem?Tenho de ter cuidado 🙂

  5. LOL, tu tem cuidado que um dia ainda apanhas um polícia gay que se está a borrifar para a tua simpatia e os teus belos caracois. Be careful!!! LOL Tu não existes!

  6. Carlinhos,Tu não estás bem! Um gay em Africa??? isso não existe!! A homossexualidade é “doença” de branco (pelo menos é que se diz por cá LOL apesar de eu os ver a dançar anca com anca uns com os outros e a andarem de mão dada – devem chamar-lhe brotherwood ehehehe). Aqui é mesmo só machões a bater na mulher!

  7. lolol!! só mesmo tu 🙂 grande presença de espírito!

  8. Lolol!!! Bela argumentação, sim senhora. 🙂 Mas realmente há que ter cuidado quando os senhores andam armados até aos dentes, não vá dar-se o caso de terem acordado mal dispostos… 🙂

  9. Zimbie e SarinhaÉ verdade, eu tb não gosto de polícias, nem de uniforme qt mais armados, prepotentes e assim com propensão para a violência… quero distância!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: