DESCOBERTAS


Como devem imaginar ando a descobrir coisas novas todos os dias, umas mais interessantes, outras mais insignificantes, mas todas surpreendentes, pelo menos para mim.
1 A literatura africana anglófona. Esta é talvez a maior e melhor descoberta de todas. Até agora a literatura africana que eu conhecia resumia-se exclusivamente à lusófona, pela qual tenho uma grande apreciação, é certo… mas convenhamos que estava muito limitda. No outro dia descobri uma livraria fantástica, com livros novos e usados e bom preço e saí de lá carregadinha de livros, muitos de autores africanos desconhecidos para mim. Estou a terminar um livro maravilhoso… dos melhores que já li. Chama-se “Half of a Yellow Sun” e é escrito por uma nigeriana chamada Chimamanda Ngozi Adichie e está publicado pela Random House. Aconselho vivamente… e entretanto vou dedicar-me a descobrir outros autores.

2 Os Masai. Ontem vi um masai na rua. Tinha deles a imagem colorida e etnográfica de uma tribo muito “explorada” pelo turismo. Achei que toda aquela parafernália colorida e de adereços tradicionais era usada exclusivamente para as fotos dos turistas e para “ilustrar” o parque de Masai Mara. Pelos vistos não é verddade. Se por um lado é certo que eles próprios tentam aproveitar o fluxo denso de turistas à reserva, por outro também parece ser certo que estão seriamente empenhados em manter a sua identidade e tradições. O masai que vi ontem, em plena baixa da cidade parecia uma visão de outro mundo, com o seu manto vermelho, colares de contas e brincos e um olhar altivo do alto dos seus quase 2 metros.

3. O preço exorbitante dos apartamentos. Tenho andado a procurar uma casita para alugar, um espaço que eu possa personalizar e fazer-me sentir mais em casa. Mas o mais barato que encontrei e depois de muita negociação foi um estudio de 500 euros por mês. É certo que é mobilado, tem serviço de limpeza, piscina e jardim comum e tudo e tudo e tudo. Parece que não há meio termo (ou pelo menos ainda não encontrei), ou vou viver para um bairro de lata ou para um condomínio de luxo…
4. Ainda consigo falar italiano. Conheci um casal de italianos super simpático lá no albergue que vive no parque nacional do Monte Quénia e gere uma casa de acolhimento para crianças deficientes. Descobri que ainda consigo conversar em italiano… e já não pratico há uns 2 anos. Fiquei feliz :).
Advertisements

3 Respostas

  1. Que realidades nos contas! Cada vez apetece mais ir aí e ter-te como guia. Estás de acordo?

  2. :)Quando quiserem vir a guia estará a postos. É só avisar.E adianto já que brevemente vou sair de Nairobi e vou conhecer ainda melhor outras paragens (Mas depois vou danso notícias).Beijinhos!

  3. 1. o livro que referes tem críticas fantásticas, estou curiosa! 2. Deve ser fascinante ver os Masai up close and in colour 🙂 espero vê-los também muito brevemente (estou a tratar do assunto;) 3. Olha que 500 euros com tudo e tudo e tudo… se fosse eu era difícil resistir… Haja €€€! e 4. afinal falar uma língua é como andar de bicicleta 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: